Mota-Engil posiciona-se como maior operador privado de energia no México

Mota-Engil posiciona-se como maior operador privado de energia no México

Outubro 26 2015

A Mota-Engil chegou a acordo para construir, manter e explorar centrais de produção de energia elétrica no México, durante 30 anos.

A atividade será desenvolvida através da subsidiária Sociedade Generadora Fénix, SAPI de CV (“SGF”), detida em 51% pela Mota-Engil México e 49% pelo Sindicato Mexicano de Eletricistas (SME).

Após 50 anos de monopólio Estatal, a SGF terá agora a concessão de cinco centrais de produção elétrica, que atualmente estão em operação e que apresentam uma capacidade instalada de 288 MW (Necaxa, Tepexic, Patla, Tezcapa, Lerma), e de dez centrais mini-hídricas passíveis de renovação, com capacidade instalada de, aproximadamente, 20 MW. No total, a capacidade potencial instalada total destas centrais é de 2.000 MW.

A Mota-Engil irá, oportunamente, desenvolver um plano de investimento com o objetivo de operar estas instalações e duplicar a capacidade instalada atual.

A Mota-Engil terá ainda a concessão de um Complexo Industrial - Central Termoelétrica Ing. Jorge Luque Loyola (“CTE JLL”), no Vale do México, atualmente desativado, mas onde está prevista a construção de um parque de produção de energia elétrica em ciclo combinado com uma capacidade de geração até 1.700 MW.

A SGF detém, desde já, todas as autorizações necessárias à execução dos projetos, nomeadamente licenças ambientais e de interconexão com a rede.

A Mota-Engil assegura assim uma posição de liderança na abertura do mercado elétrico liberalizado mexicano, criando novas perspetivas para participar num setor com elevado crescimento.